segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Consonant Sounds






Melhor

Uma bela palavra,

Molha a boca.

Hibrida.

Água para o sedento.

Mata a sede pela saliva deliciosa de seus dígrafos.

Sopa de fonemas,

Canções consonantais.

Consoantes letras em meu caminho…




domingo, 11 de junho de 2017

Lembrança furta-cor








Conheço diversas cores

Brilhantes e opacas.

Cores amarelas com calor de vermelhas.

Cinzas com gosto de laranjas,

Brancas com cheiro de rosas.

Nesse dia diorama

Sorvi do cálice,

Calado,

O gosto imagético pigmentado.

Desde então

Desconheço

O roxo escuro do olhar.

O breu do esquecimento

Tirou-me a íris da memória.





quinta-feira, 27 de abril de 2017

A casa grande persegue Lula e o povo sofre o golpe (Brasil queima)



        Assisto um golpe em curso que não cessará sua sanha por poder e destruição do povo.
CLT, SUS, INSS e o que mais houver com vontade social será devorado pelo monstro insaciável.              Atônitos, lenientes, ignorantes e impotentes assistimos o monstro vencer, destruir, devorar e gargalhar.

       Globotizados cospem xingamentos e o ódio irradiado por fricção atômica atinge tudo e a todos.            Não há mais pessoas, vejo apenas andrajos entrecortados por gritos de horror e de torpor.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

LIVRE A GIRAR






Esqueço chaves,

Relógio,

Tempo ,

Ofensas,

Tristezas

E carteiras.

Certo dia,

Eu, de tão distraído

Perdi um amor.

Um tempo esquecido,

Interno de uma gaveta qualquer.

Depósito lotado,

Guarda-chuvas solitários.

Um desses atrevidos

Desvencilhou-se dessa opressão.

Guiado pelo vento

Girava em diagonal

Sob uma azulada manhã.

Céu leve de outono.


segunda-feira, 6 de março de 2017

Parras poéticas





Como folhas do outono,

Um visgo de poesia

Desapega-se da pena.

Frases florescem em mim,

Ecos secretos segredando

Pétala por pétala

Memorias passadas, vindouras.

Parras sobre um corpo estranho,

Eclodindo em miasmas sem fim.

Palavras que profiro.



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Happy hour









O sol

Solicitando presença

Solapando tristezas

Entre nuvens gris

O sol

Solidário do dia

Soltando magia

A noite por um triz

O sol

Testemunha do acaso

Tez tíbia, ocaso

Trevas criando raiz











terça-feira, 17 de janeiro de 2017

                  
Quem te vê assim, com tanta imponência e sobriedade, não sabe que por trás de todas essas afeições que a vida deixou em você, esse jeito de quem não precisa de ninguém, mesmo assim eu sei que no fundo você gosta mesmo é de ser cuidada, e daquele cafuné cuidadoso para conseguir dormir em paz. Esse seu sorriso lindo esconde bem o semblante, muitas vezes de desânimo e tristeza, quando lhe conheci não precisei  tomar dois copos de chope com você em uma mesa de um bar para conseguir um passe livre para ver tamanha fragilidade. Existem minúcias que somente os olhares mais aguçados  são capazes de reconhecer.

É preciso mais do que tato, para se compreender a imensidão do outro. Noites em claro, dias nublados, falta de grana, banho de chuva, silêncio ou muito barulho. Dias assim todos temos. Mas aos meus olhos todos os  seus disfarces não foram capazes de cobrir a sua verdadeira essência. Pra mim não é o tempo nem a oportunidade que determinam a intimidade, é só a disposição e a importância que você dá. Quatro anos podem ser insuficiênte para conhecer certas pessoas, e quatro meses mais do que suficiente para outras. Mas não pense que você é previsível, ninguém sai por aí vestido de previsibilidade.  Como na velha parábola, " Para conhecer as borboletas primeiro deve-se ansiar com a mesma intensidade pelas lagartas." Tudo tem um propósito...


Hoje ha cada dia te conheço um pouco mais e sei como é difícil sustentar toda essa pose de indiferença com o mundo lá fora quando a sua insegurança muitas vezes grita e você pede um pouquinho mais de calma. Mas está tudo bem. Ninguém precisa saber disso, porque "nenhum grande guerreiro anuncia aos quatro ventos o seu ponto fraco. Aqueles que desejam vencer a batalha junto a ele, descobrem, entendem, e aceitam."

A magia de te ver assim, aos meus olhos, é que fico imaginando quantas coisas você também foi e é capaz de enxergar sobre mim. Para cada pessoa que cruza o nosso caminho a gente é um ser diferente, eu nunca fui assim com ninguém, e cada um teve e tem de mim aquilo que cativou.  Acontece que para algumas pessoas que cruzam a nossa vida, nenhum detalhe passa despercebido, e com você nada passa. É simplesmente incrível como a gente se mostra sem querer, aí quando já se viu nossos segredos,eles já se moldaram na aceitação do outro e tudo virou uma coisa só, é o que a gente carinhosamente chama de parceria. As vezes é preciso tempo para os sentidos se ajustarem. Nada é o que parece a primeira vista.


É quase como ir ao cinema. Alguém passa o filme que a gente escolheu na tela e à medida que o enredo se desenvolve a plateia decide se vale a pena continuar até o final ou se desiste da trama e vai comer uma pizza na esquina. Se alguém te deu um ingresso para o filme da sua vida, compre uma pipoca e sinta-se muito honrada. Com sucesso, antes dos créditos finais você já conseguiu se ver nos gestos, nas inconsistências, nos sorrisos tímidos daquele protagonista.

Amei você, não pelo que você poderia me oferece ou pelo que ainda poderá, mas por tudo aquilo que você me permitiu descobrir sobre você.


O convite é para você que se olha todos os dias e as vezes fica em dúvida sobre quem é realmente. Se permita, se encontre, se doe e receba, ame, se permita ser amada, chore e sorria também. Sorte na vida é ter alguém para contar sempre quando precisamos e dividir um pouco da gente também. A nudez mais linda é a do coração, essa não esconde mesmo. E que você seja sempre desta forma, surpreendente, e com a delicadeza incomparável de quem sente muito além daquilo que vê. Cegos são os olhos que se deixam enganar por uma miragem, bonito mesmo é a bagunça do lado de dentro (e tudo aquilo que vejo quando eu olho através de você)...
"Vanessa Nascimento."